Versão OriginalMenu
Da redação | 1 de Janeiro de 2018 - 18:00:00

Cerca de 50% de recursos do Pronaf já foram usadsos por agricultores familiares

Até o mês de dezembro, foram movimentados R$ 106 milhões do programa

A agricultura familiar de Mato Grosso do Sul encerrou 2017 com saldo positivo no que tange as verbas federais a favor da pequena produção estadual, segundo o governo estadual. Só em termos de Pronaf – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, já foram movimentados R$ 106 milhões até dezembro. Valor que representa quase 50% dos R$ 220 milhões liberados dentro do Plano Safra 2017/20 em 1º de julho deste ano.

O montante total foi liberado no Plano Safra da Agricultura Familiar, eixo que está englobado no valor maior de R$ 6,4 bilhões do Plano Safra para todo o País entre pequenos, médios e grandes produtores. “Já foram 3.392 projetos aprovados dentro do Pronaf, totalizando R$ 106.365.567,84 e como bem sabemos 80% das projetos elaborados no Estado são feitos pelos técnicos da Agraer”, avaliou positivamente o diretor-presidente da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), André Nogueira.

E do que depender dos esforços do Governo do Estado, a outra fatia do Pronaf disponível deve ser aproveitada. “Nós temos um termo de cooperação com o Incra e acreditamos que para 2018 esse valor deve ampliar, porque nós vamos conseguir liberar a DAP [Declaração de Aptidão ao Pronaf] para produtores que em 2017 não puderam pegar o recurso do Pronaf por estar irregular junto ao Incra. Então, este trabalho deve trazer um resultado melhor para 2018”.

A DAP é um dos documentos imprescindíveis para o acesso às linhas de crédito do Pronaf. “Nós estamos no meio do calendário do Plano Safra. Ainda temos toda a safrinha, todas as culturas de inverno que também podem entrar nesse recurso do Programa. Poderemos chegar bem próximo, talvez, de utilizar o total do Pronaf que são os R$ 220 milhões. Vamos trabalhar para isso”, garante o dirigente da Agraer.

Dos R$ 106 milhões movimentados pelos agricultores familiares do Estado, R$ 72.488.961,83 foram em linha de custeio – compra de sementes, medicamentos, ração para animais, entre outras demandas de cultivo e criação, enquanto os outros R$ 33.876.606,01 em linha de investimento, o que significa benfeitorias e reforma direta nas propriedades que trarão melhores resultados na produção ou criação de suínos, bovinos, pescado e aves.

Dinheiro que movimenta a economia local, conforme enfatiza o diretor-presidente André Nogueira. “Esse recurso que entra no Mato Grosso do Sul é de suma importância, principalmente para os 79 municípios. O agricultor familiar que recebe o seu crédito, ele gasta na sua cidade e isso faz com que a economia da região se movimente, o que gera benefícios seja para o comércio local, para a própria administração municipal e para o Estado como um todo”, observa.

Programa - Com duas décadas de existência, o Pronaf transformou a realidade, em todo o País, de mais de 2,6 milhões de unidades familiares de produção, gerou renda e potencializou o uso da mão de obra familiar. O dinheiro injetado em pequenos sítios serviu para a ampliação da área plantada e a utilização de tecnologias que propiciaram maior produção e produtividade de mais de 55 tipos de alimentos consumidos pelos brasileiros.

Um ponto que merece destaque dentro do Pronaf é que o mesmo leva em consideração as condições financeiras na agricultura familiar em relação à média e grande produção. Tanto que o tabelamento de taxas de juros das linhas de crédito do Programa é oferecido bem abaixo da taxa Selic, a taxa básica de juros da economia brasileira.

“É uma medida que permite que o agricultor familiar possa solicitar crédito sem comprometer toda a sua renda familiar”, destaca o dirigente da Agraer, André Nogueira. Aspecto esse que possibilitou um acréscimo de R$ 1.841.916.619,00 na pequena produção familiar de Mato Grosso do Sul dentro dos 20 anos do Pronaf. 

Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews