Versão OriginalMenu
Da redação | 11 de Janeiro de 2018 - 10:50:00

Em Dourados, Siems vai ao MP após protesto no Hospital da Vida

Funcionários vêm recebendo o salário de forma escalonada há quatro meses

Cobrando um posicionamento quanto ao pagamento do salário dos trabalhadores da Funsaud (Fundação de Serviços da Saúde de Dourados), o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área de Enfermagem de Mato Grosso do Sul (Siems), Lázaro Santana, foi ao Ministério Público Estadual tentar conversar com o procurador do Trabalho Jeferson Pereira.

Os funcionários vêm recebendo o salário de forma escalonada há quatro meses. Na madrugada de hoje (11), alguns chegaram a receber, porém não foi informado se o pagamento foi integral ou parcial.

“Essa semana a Funsaud foi notificada sobre o ato, porém não há diálogo, muito menos previsão de pagamento”, comentou Lázaro que, de acordo com ele, a liberação de alguns mínimos foi para que não houvesse a paralisação.

A paralisação que começou na calçada do HV, se estendeu para a Rua Toshinobu Katayama, ocorrendo a interdição da via.

 Atendimentos - Como não é uma greve, o presidente da Comissão de Funcionários da Funsaud, Robson Adriani, disse ao Dourados News que por enquanto, alguns funcionários ainda não pararam.

“Na mobilização temos funcionários de outros turnos, sendo que há alguns que seguem o ritmo de trabalho normalmente; nós esperamos que o presidente do hospital também se posicione, se isso não acontecer, então decidiremos pela greve, aí irá parar tudo”, afirmou.

Porém, os servidores ainda podem votar o indicativo de greve caso não haja um posicionamento da Funsaud em relação aos salários.

Outro lado - Em entrevista, o presidente da Funsaud, Américo Salgado Filho, afirmou que foi pedido aos funcionários paciência e que a verba para o pagamento dos servidores, ainda não foi repassada.

"O atraso não é de meses, mas de dia; nós pedimos aos servidores que tenham paciência, pois a área da saúde não é a única a estar recebendo de forma escalonada; também esclarecemos ao sindicato que o repasse não foi feito, por isso, o pagamento não foi efetuado", concluiu o presidente. (Com informações do site Dourados News).  

Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews