Versão OriginalMenu
Da redação | 11 de Janeiro de 2018 - 18:04:00

Estoque de remédios está a 80%, diz prefeitura da Capital

Município recebeu medicamentos e insumos que serão entregues às unidades de saúde

O Almoxarifado e Farmácia Central da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) receberam medicamentos e insumos que serão distribuídos nos próximos dias nas Unidades Básicas de Saúde (UBS/UBSF) e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA/CRS). A informação é da própria prefeitura de Campo Grande que informa que, com a chegada da remessa, o estoque de abastecimento da Rede Municipal de Saúde que está em 80%.

Em novembro passado, o Conselho Municipal de Saúde informou que acionaria o Ministério Público e a Justiça em relação à falta de medicamentos e insumos básicos nas unidades de saúde de Campo Grande. Na época, a prefeitura explicou que havia licitações em andamento.

Conforme a prefeitura, além de remédios e insumos,  a alimentação especial para atender pacientes com demandas judiciais também, foi recebido. As entregas ocorreram na manhã e início da tarde desta quinta-feira, dia 11 de janeiro, e mobilizou a equipe de funcionários para o descarregamento e conferência.

Nesta remessa de medicamentos estão inclusos diosmina+hesperidina (recomendado para tratamento das manifestações da insuficiência venosa crônica), cilostazol (indicado para tratar problemas de circulação), albendazol líquido (para tratamento de vermes ou parasitas), amoxicilina suspensão (antibiótico) e creme de papaína, própolis e ureia (cicatrizantes).

Já os insumos entregues são gel e filme para ultrassom, eletrodos cardíacos, papel grau cirúrgico e outros. Todos os produtos devem ser registrados no sistema de distribuição de medicamentos e passam a ser distribuídos na próxima semana nas unidades de saúde para atender a população e irão elevar o estoque de abastecimento da Rede Municipal de Saúde que está em 80%.

As alimentações especiais atenderam os pacientes com demandas judiciais e que a compra destes produtos dependiam de licitação. As entregas deve obedecer uma lista específica e os contemplados serão chamados para fazer a retirada.

“Estamos trabalhando para suprir toda a Rede com medicamentos e insumos a fim de atender as necessidades da população. Diferente do que começamos o ano de 2017 quando a rede estava abastecida com apenas 30%, nível considerado crítico, neste início de 2018 estamos com 80% e a nossa previsão é continuar elevando este percentual para não haver falta de medicamentos nas unidades”, explico o secretário Municipal de Saúde, Marcelo Vilela.

Ainda de acordo com a prefeitura, nos próximos dias estão previstas novos recebimentos para garantir o abastecimento de medicamentos nas unidades básicas e de pronto atendimento.

Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews